PET DICAS

Treino para acostumar o cão na caixa de transporte

por Alexandre Rossi
|
|
Compartilhe:

Está cada vez mais frequente nos depararmos com tutores fazendo viagens aéreas acompanhados de seus cães. E o melhor: os de menor porte muitas vezes podem viajar na cabine, literalmente aos nossos pés!

A Estopinha já nos acompanha em viagens aéreas há algum tempo. E ontem, foi a primeira viagem aérea do Barthô e, de cara, para um destino internacional! Mas para que isto fosse possível para eles e para vários outros cães, é muito importante acostumá-los previamente a ficar bem na caixa de transporte.

Iniciando o treino

Para começar este treino (que recomendo para todos, mesmo que num primeiro momento não se tenha a intenção de viajar com o cão), devemos deixar a caixa num local dentro de casa onde o cachorro goste de ficar. Por exemplo, ao lado do sofá.

Colocar lá dentro uma superfície macia, como um colchonete ou um paninho do cão (a maioria gosta muito de se deitar em locais aconchegantes) e incentivá-lo a ficar lá, colocando petiscos, alimentando-o lá dentro e elogiando bastante enquanto ele ficar tranquilo ali, seja descansando, seja com um brinquedo.

Considerando que a caixa estará sempre disponível e sendo associada com coisas gostosas (brinquedos de morder, recompensas, alimentação e descanso), a tendência é que o cão comece a usá-la como sua toca mesmo, um local de descanso (aliás, cães adoram ficar aconchegados em locais ligeiramente estreitos).

Etapa seguinte

Assim que percebemos que o cão já entra espontaneamente na caixa e até dorme lá, é hora de colocar a porta e começar a fechar. No início, por alguns momentos apenas, enquanto ele está distraído com algum brinquedo que libera comida, por exemplo. Nesta fase, é importante não destravar a porta se o cão estiver, justamente, tentando abrir, pois ele pode aprender que é só dar uma “raspadinha” e... pronto, estará liberado! Devemos abrir quando ele ainda estiver entretido com algo, sem nem pensar ainda em sair.

É importante contabilizar quanto tempo o cão consegue ficar lá dentro sem demonstrar sinais de estresse, anotando os progressos. No início, são apenas alguns minutos, mas o objetivo é que ele fique lá por horas, tranquilo, sentindo-se confortável.

É bacana começar este treino um bom tempo antes da viagem, para que seja possível acostumar o cão aos poucos. Mas isto não significa não ser possível fazer um “intensivo” caso surja a oportunidade de uma viagem num prazo menor. Na dúvida, vale consultar um especialista em comportamento animal para obter auxílio no treino e garantir que o pet não faça nenhuma associação ruim com a caixa.

Quando o cão já estiver habituado à caixa de transporte, ficando lá tranquilamente por um bom tempo, podemos levá-lo para locais mais movimentados (e até ao aeroporto!), para que ele se adapte a ser carregado em sua toca em locais diferentes e de maior movimento. Nestes momentos, ajuda bastante colocar petiscos e coisas gostosas dentro da caixa.

Em todas as etapas do treino é importante evoluir aos poucos, respeitando o tempo do cão e só passar para a próxima etapa quando o pet estiver tranquilo na anterior.

Para viagens de avião

É importante sempre verificar as regras da companhia aérea quanto ao transporte de pets, bem como a legislação vigente no local sobre viagens com animais de estimação.

E no mais, viajar com o cão é uma delícia! É mais uma oportunidade que temos de vivenciar ótimos momentos com eles!

Encontre por tipo de Mídia:


Como contar os anos de vida de cães e gatos

vejasp.abril.com.br

Sabemos que a expectativa de vida dos pets não acompanha a dos humanos. Será que é possível fazer uma previsão?

SE VOCÊ É UM DONO: FESTEIRO

FESTAS

Mantém a casa sempre movimentada? A melhor saída é buscar cães de companhia, mais tranquilos e menos territorialistas, como o golden retriever, o labrador, o spitz alemão, o maltês, o shih tzu, o west highland white terrier e o lhasa apso.

CÃES

Os nossos amigos de quatro patas estão sempre se comunicando, por meio de linguagem corporal ou vocalização (latidos, uivos).

Como e quando usar recompensas para treinar cães e gatos?

Entenda a importância do reforço positivo para a boa convivência do pet com a família!

O melhor tipo de tosa para o seu cachorro

Conheça mais sobre recorte e tintura canina e saiba que cuidados ter na hora da tosa.

SE VOCÊ É UM DONO: COM CRIANÇAS

O mais recomendado é buscar cães dóceis e de grande porte, que aguentem brincadeiras mais brutas, como o bull terrier, por exemplo, que é um cachorro forte, mas extremamente dócil com crianças.

SE VOCÊ É UM DONO: MAL-HUMORADO

Os mais indicados são aqueles que gostam de carinho, mas depois voltam para o cantinho deles, tudo sem excessos.

SE VOCÊ É UM DONO: AVENTUREIRO

AVENTUREIRO

Algumas raças indicadas são o border collie, o beagle, o labrador e o golden retriever.

SE VOCÊ É UM DONO: AGITADO

AGITADO

Vale procurar raças mais independentes, como o akita, o husky siberiano, o chow-chow e o pug.

SE VOCÊ É UM DONO: CARENTE

CARENTE

o labrador, cocker e o yorkshire adoram um cafuné e trocam tudo para deitar nos pés de seus tutores.