O QUE FAZER?

Alexandre dá dicas sobre animais ansiosos

por Equipe de Comunicação
|
Compartilhe:

Como forma de esclarecer dúvidas de tutores sobre ansiedade de separação, Alexandre Rossi, zootecnista e especialista em comportamento animal, organizou uma live simultânea em seus perfis do Facebook e do Instagram para responder algumas perguntas. Se você perdeu, acompanhe as dicas aqui.

Ninguém gosta de ver o pet sofrendo, não é mesmo? A ansiedade de separação nada mais é do que um problema psicológico que alguns animais desenvolvem por sentirem muita saudade dos tutores. Apesar de muito comum, com bastante dedicação e paciência o problema pode ser revertido por meio de práticas simples. É importante perceber os sinais rapidamente, pois os cães muito ansiosos acabam desenvolvendo certas compulsões, como a automutilação.

Segundo o especialista, uma das formas para tratar a ansiedade de separação é manter o cachorro no peso ideal, para que ele tenha apetite e aceite os petiscos que são oferecidos nos treinamentos. Cachorros acima do peso acabam não se interessando por eles. Também é importante praticar o treino de sair e voltar de casa sem grandes festas ou despedidas e fazer com que o pet se envolva com outras pessoas, criando laços fortes de confiança.

Lembre-se de aumentar ou manter as atividades físicas dele, pois isso ajuda a eliminar questões como a depressão. Para finalizar, deixe que o cachorro tenha acesso a locais da casa que possuam o seu cheiro, como o sofá e a cama. Em alguns casos, prendê-lo em um quarto onde ele se sinta seguro, com espaço e tudo o que ele precisa, como água, comida, brinquedos, banheiro e cama, pode ajudar.

Como saber se meu cachorro é ansioso?
Se ele é hiperativo, faz as atividades muito rapidamente, chora quando você sai e, em alguns casos, é atrapalhado, temos um quadro de ansiedade canina. “Muitos cachorros, quando são ansiosos, e não tem nada para fazer, podem desenvolver problemas compulsivos”, explica Rossi.  Preste atenção nesses sinais para evitar que a condição piore.

Meu cachorro chora quando está sozinho. O que fazer?
Muitas vezes, os cães choram porque estão vendo o tutor por perto e querem chamar a sua atenção. Em alguns casos, também pode ser porque querem que a família fique em casa o tempo todo.

Nessas situações, o importante é mostrar para o cachorro que existem coisas mais legais para fazer do que ficar esperando na porta. Para isso, engaje o animal em atividades interessantes, espalhando petiscos pela casa, deixando brinquedos ao alcance dele e aumentando, novamente, a quantidade de exercícios físicos. 

“Existe um estudo que mostra que quando o cão é apegado a poucas pessoas a chance de ele desenvolver ansiedade de separação é maior. Então, se ele tiver um passeador, adestrador e família que goste muito o quadro pode diminuir”, afirma Rossi.

Por que meu cão se automutila quando está sozinho e como fazer ele parar?
Normalmente, este comportamento está ligado à compulsão, logo a atenção deve ser redobrada. “Quanto mais ele se mutila, mais difícil é fazer ele parar. Este é o tipo de problema que temos que usar todas as 'cartas da na manga' e depois a gente pode ir tirando se não precisar”, afirma Alexandre.

O uso do Colar Elizabetano é uma ótima ferramenta para impedir que o cachorro se lamba excessivamente ou se morda. Alguns antidepressivos também podem ser um caminho, mas com a orientação de um médico veterinário.

Uma dica importante é evitar fazer drama ao sair de casa e festa ao chegar, assim, este momento não se torna algo muito grandioso.

O que fazer quando o cachorro não come quando está sozinho? 
A principal dica quando se trata de saúde e ansiedade de separação é manter o escore corporal do cachorro, ou seja, manter o seu peso ideal.

“Desenvolvemos um estudo na Cão Cidadão comprovando que quando o cachorro está com o escore corporal ideal, o apetite dele aumenta. O Barthô é um cachorro bem magrinho, se ele comer mais e ganhar peso o interesse por petisco e ração diminui muito. Quando a gente sai de casa, como o interesse  dele já é pequeno e ele fica ansioso, a vontade de comer diminui. Mas como mantemos o peso ideal do Barthô, da Estopinha e da Miah eles sempre acabam comendo corretamente. Não deixe a ração à vontade, porque a maioria dos cachorros come a mais do que deveria.”

Leia aqui a matéria sobre obesidade canina para aprender a avaliar o escore corporal do seu pet. 

Alguns animais não se interessam por brinquedos. Nesses casos, os ossos de couro são recomendados?
“Deixar o cachorro sozinho com um osso pode não ser o ideal. Quando ele já está mole, muitas vezes pode gerar briga entre os cachorros. Além deste cuidado, devemos pensar em algumas outras coisas antes de oferecer o osso de couro aos nossos pets”, explica.

Isso porque, segundo o especialista, é preciso prestar atenção em alguns detalhes, pois certos produtos químicos que compõe os ossos podem ser prejudiciais à saúde do cachorro. Isso depende do fabricante, por isso, pesquise antes de comprar.

Também devemos tomar cuidado, pois alguns cachorros engasgam com os ossos que prendem na garganta e isso pode ser fatal. É interessante lembrar também de que os ossos digeridos pelos cachorros transformam-se em calorias e pode até substituir uma refeição. Portanto, cuide para que o seu cão não engorde demais.

E na hora de sair de casa, o que fazer?
Uma boa ideia é distribuir petiscos pela casa para que o cachorro os procure e tenha uma atividade (física e mental) enquanto está sozinho. Faça com que ele sente e depois peça o comando “Fica”. Mantenha-o sentado enquanto esconde petiscos e, antes de sair, libere-os. 

Se você perdeu a live, assista pelo Facebook do Alexandre.  
 

 

 

Encontre por tipo de Mídia:


Live nas mídias sociais da Veja SP

https://www.facebook.com/vejasp/videos/10156808...

Veja a live que Alexandre Rossi participou nas mídias da Veja SP, tirando algumas das dúvidas mais frequentes dos tutores.

Alexandre dá dicas sobre animais ansiosos

https://www.facebook.com/Alexandreprossi/videos...

Assista a live que o especialista preparou para tirar dúvidas de tutores.

Como contar os anos de vida de cães e gatos

vejasp.abril.com.br...

Sabemos que a expectativa de vida dos pets não acompanha a dos humanos. Será que é possível fazer uma previsão?

SE VOCÊ É UM DONO: FESTEIRO

FESTAS...

Mantém a casa sempre movimentada? A melhor saída é buscar cães de companhia, mais tranquilos e menos territorialistas, como o golden retriever, o labrador, o spitz alemão, o maltês, o shih tzu, o west highland white terrier e o lhasa apso.

Pets e crianças com necessidades especiais

Alexandre Rossi conta os benefícios que os animais trazem para a vida de uma criança especial.

Como adotar um cão?

Adotar um animal é um ato de amor e compaixão, mas que precisa ser bem pensado. Descubra mais com Alexandre Rossi.

Como estimular os gatos a beberem mais água?

O Dr. Pet explica a importância da água para os felinos e dá dicas para estimular a sua ingestão.

Pets que ajudam na educação das crianças

Deixar que as crianças realizem tarefas relacionadas ao bichinho de estimação pode ser uma ótima ideia para ensiná-los a ter responsabilidade.

Campanha reforça a presença do veterinário no núcleo de apoio à saúde familiar

O CRMV criou a campanha “Saúde é uma só” com o intuito de incluir o médico veterinário em ações de prevenção à saúde voltadas às famílias.

Como e quando usar recompensas para treinar cães e gatos?

Entenda a importância do reforço positivo para a boa convivência do pet com a família!

O melhor tipo de tosa para o seu cachorro

Conheça mais sobre recorte e tintura canina e saiba que cuidados ter na hora da tosa.

SE VOCÊ É UM DONO: COM CRIANÇAS

O mais recomendado é buscar cães dóceis e de grande porte, que aguentem brincadeiras mais brutas, como o bull terrier, por exemplo, que é um cachorro forte, mas extremamente dócil com crianças.

Alexandre para revista Contigo: adestrar para melhorar a convivência no lar

https://contigo.uol.com.br/

Veja a coluna da Cãotigo de agosto.

SE VOCÊ É UM DONO: AVENTUREIRO

AVENTUREIRO

Algumas raças indicadas são o border collie, o beagle, o labrador e o golden retriever.

SE VOCÊ É UM DONO: AGITADO

AGITADO

Vale procurar raças mais independentes, como o akita, o husky siberiano, o chow-chow e o pug.

SE VOCÊ É UM DONO: CARENTE

CARENTE

o labrador, cocker e o yorkshire adoram um cafuné e trocam tudo para deitar nos pés de seus tutores.