COMPORTAMENTO

Depressão canina existe?

por Equipe de Comunicação
|
Compartilhe:

Considerada “o mal do século” pela OMS, a depressão é uma doença que atinge não somente humanos, mas também os cães, que podem sofrer com esta condição. No programa Pet na Pan, que era mantido por Alexandre Rossi, o especialista em comportamento animal e sócio-fundador da Cão Cidadão, abordou a fundo o tema.  

A depressão canina é apenas uma forma de "apelidar" um quadro agudo de falta de estímulo em que o cão deixa de praticar alguns hábitos característicos da espécie, e não necessariamente é um distúrbio psiquiátrico como é constatado em humanos.

“O cachorro depende da matilha para saber como está o clima do ambiente e do humano. Ao fazer com que o cachorro fique muito animado e crie expectativa de que algo vai acontecer, o tutor promove uma alteração de comportamento que normalmente deixa os cães ansiosos. Quando estas expectativas não são alcançadas, eles ficam deprimidos”, explica o professor de medicina veterinária da Universidade Anhembi Morumbi, Wagner Ushikoshi.

Além disso, a depressão canina está diretamente ligada à idade: quanto mais velho, mais chances de o cão ficar depressivo Por conta do comportamento instintivo, é mais fácil tirar o cachorro da apatia do que reverter o quadro de depressão de um humano. Para isso, basta oferecer estímulos que façam com que ele se sinta parte da matilha/família.

Hoje, é possível saber que o cérebro humano e dos animais são muito semelhantes, principalmente dos mamíferos. Pesquisas recentes mostram que os peixes têm sintomas parecidos com a depressão e que vários remédios antidepressivos de seres humanos fazem efeito nestes bichos. Por este motivo, muitos destes animais servem como modelo para testes de drogas psicoativas.

“Temos que tomar cuidado para não humanizar demais os cachorros e achar que ele está depressivo, quando na verdade ele pode estar sentindo alguma dor. Por isso, é importante fazer uma investigação para saber se são sintomas da depressão. Somente após a confirmação, é possível estimulá-lo de alguma maneira”, recomenda Alexandre Rossi.

Para saber mais sobre este e outros assuntos do programa Pet na Pan, clique aqui!

 

 

 

Encontre por tipo de Mídia:


Live nas mídias sociais da Veja SP

https://www.facebook.com/vejasp/videos/10156808...

Veja a live que Alexandre Rossi participou nas mídias da Veja SP, tirando algumas das dúvidas mais frequentes dos tutores.

Alexandre dá dicas sobre animais ansiosos

https://www.facebook.com/Alexandreprossi/videos...

Assista a live que o especialista preparou para tirar dúvidas de tutores.

Como contar os anos de vida de cães e gatos

vejasp.abril.com.br...

Sabemos que a expectativa de vida dos pets não acompanha a dos humanos. Será que é possível fazer uma previsão?

SE VOCÊ É UM DONO: FESTEIRO

FESTAS...

Mantém a casa sempre movimentada? A melhor saída é buscar cães de companhia, mais tranquilos e menos territorialistas, como o golden retriever, o labrador, o spitz alemão, o maltês, o shih tzu, o west highland white terrier e o lhasa apso.

Pets e crianças com necessidades especiais

Alexandre Rossi conta os benefícios que os animais trazem para a vida de uma criança especial.

Como adotar um cão?

Adotar um animal é um ato de amor e compaixão, mas que precisa ser bem pensado. Descubra mais com Alexandre Rossi.

Como estimular os gatos a beberem mais água?

O Dr. Pet explica a importância da água para os felinos e dá dicas para estimular a sua ingestão.

Pets que ajudam na educação das crianças

Deixar que as crianças realizem tarefas relacionadas ao bichinho de estimação pode ser uma ótima ideia para ensiná-los a ter responsabilidade.

Campanha reforça a presença do veterinário no núcleo de apoio à saúde familiar

O CRMV criou a campanha “Saúde é uma só” com o intuito de incluir o médico veterinário em ações de prevenção à saúde voltadas às famílias.

Como e quando usar recompensas para treinar cães e gatos?

Entenda a importância do reforço positivo para a boa convivência do pet com a família!

O melhor tipo de tosa para o seu cachorro

Conheça mais sobre recorte e tintura canina e saiba que cuidados ter na hora da tosa.

SE VOCÊ É UM DONO: COM CRIANÇAS

O mais recomendado é buscar cães dóceis e de grande porte, que aguentem brincadeiras mais brutas, como o bull terrier, por exemplo, que é um cachorro forte, mas extremamente dócil com crianças.

Alexandre para revista Contigo: adestrar para melhorar a convivência no lar

https://contigo.uol.com.br/

Veja a coluna da Cãotigo de agosto.

SE VOCÊ É UM DONO: AVENTUREIRO

AVENTUREIRO

Algumas raças indicadas são o border collie, o beagle, o labrador e o golden retriever.

SE VOCÊ É UM DONO: AGITADO

AGITADO

Vale procurar raças mais independentes, como o akita, o husky siberiano, o chow-chow e o pug.

SE VOCÊ É UM DONO: CARENTE

CARENTE

o labrador, cocker e o yorkshire adoram um cafuné e trocam tudo para deitar nos pés de seus tutores.