COMPORTAMENTO

Dicas para o pet ficar bem quando está sozinho na Veja SP

por Equipe de Comunicação
|
Compartilhe:

Hoje é dia de falar de um problema comportamental que vem sendo cada vez mais conhecido e discutido: a ansiedade por separação.

Este distúrbio ocorre quando o animal não consegue ficar bem sozinho, apresentando sinais evidentes de stress quando é separado de seu grupo. E, no caso dos cães domésticos, seu grupo social somos nós, sua família.

Quais os sintomas?

Normalmente, cachorros com ansiedade por separação latem em excesso, destroem objetos, ficam muito agitados e podem fazer as necessidades fora do local usual quando estão sozinhos.

Além desses sintomas (que costumam fazer com que os tutores busquem auxílio profissional), não ter interesse por nenhuma atividade quando está sozinho também é considerado um sintoma. Ou seja, para quem acha que seu cachorro é supereducado porque fica o tempo todo só dormindo quando está sozinho, é melhor ficar atento. Ele pode estar deprimido. Vale tomar algumas providências para que ele se sinta melhor.

Como tratar

Um treino importante para estimular o cão a ficar tranquilo quando sozinho é se focar nas saídas para que o cachorro perceba que o tutor… volta! Como não temos como explicar isso para eles, usamos treinos para que percebam isso. Assim, essas saídas durariam inicialmente apenas alguns segundos (um abrir e fechar da porta) e esse tempo vai sendo aumentado aos poucos, à medida que se percebe que o cachorro está confortável no ambiente mesmo sem a presença do tutor – de preferência fazendo algo que curta bastante, como roer um osso gostoso.

Outra dica é deixar o local onde ele fica cheio de coisas bacanas para fazer. Por exemplo, trazer brinquedos que liberam comida ou algum objeto com o cheiro dos tutores (por exemplo, uma peça de roupa usada) para que sintam o cheiro tão familiar quando estiverem sozinhos. Importante: caso chegue em casa e o cão tenha destruído alguma coisa ou feito  xixi fora do lugar, é importante não dar bronca, pois ele não fará associação com o comportamento e pode ficar ainda mais ansioso na próxima vez que ficar sozinho.

Em alguns casos, faz-se necessário o uso de medicação ansiolítica, que deve ser prescrita por um médico veterinário e ministrada em conjunto com os treinos de modificação comportamental.

O que podemos fazer para prevenir a ansiedade por separação?

Ainda não se sabe com clareza se a forma de apego entre tutores e seus cães pode, efetivamente, ter alguma influência no desenvolvimento da ansiedade por separação. Estudos já demonstraram que os cães têm relações de afeto com os tutores, mas não se sabe até que ponto o modo como esta relação se desenvolve predispõe uma maior ocorrência da ansiedade por separação.

De qualquer forma, uma maneira de prevenir é acostumar o cão a ficar bem sozinho, independentemente de ele apresentar qualquer sintoma do distúrbio. Para tanto, acostumar desde filhotes a pequenas separações, sempre deixando coisas bacanas e interessantes para ele fazer, fará com que associem estar sem o tutor por perto a sensações boas (vale fazer isso mesmo com cães adultos também!).

Além disso, manter uma rotina onde o cachorro consiga prever de forma consistente o que vai acontecer (horários de alimentação, hora de sair para trabalhar, hora do passeio, hora da brincadeira) pode o ajudar bastante a se sentir seguro no dia a dia.

Uma rotina que englobe também atividades físicas e mentais, como passeios e ida a praças e parques, tem papel importante no gasto de energia.

Nunca devemos nos esquecer de que, para os cães, nós somos a referência mais importante. Portanto, manter uma relação de afeto saudável, com interações bacanas, mas também mostrar que está tudo bem quando não estamos perto, é de suma importância para que todos possam ficar bem e felizes!

Fonte: Veja SP.

Encontre por tipo de Mídia:


Live nas mídias sociais da Veja SP

https://www.facebook.com/vejasp/videos/10156808...

Veja a live que Alexandre Rossi participou nas mídias da Veja SP, tirando algumas das dúvidas mais frequentes dos tutores.

Alexandre dá dicas sobre animais ansiosos

https://www.facebook.com/Alexandreprossi/videos...

Na live feita em suas redes sociais, o especialista responde perguntas frequentes sobre o assunto.

Como contar os anos de vida de cães e gatos

vejasp.abril.com.br...

Sabemos que a expectativa de vida dos pets não acompanha a dos humanos. Será que é possível fazer uma previsão?

SE VOCÊ É UM DONO: FESTEIRO

FESTAS...

Mantém a casa sempre movimentada? A melhor saída é buscar cães de companhia, mais tranquilos e menos territorialistas, como o golden retriever, o labrador, o spitz alemão, o maltês, o shih tzu, o west highland white terrier e o lhasa apso.

Pets e crianças com necessidades especiais

Alexandre Rossi conta os benefícios que os animais trazem para a vida de uma criança especial.

Como adotar um cão?

Adotar um animal é um ato de amor e compaixão, mas que precisa ser bem pensado. Descubra mais com Alexandre Rossi.

Como estimular os gatos a beberem mais água?

O Dr. Pet explica a importância da água para os felinos e dá dicas para estimular a sua ingestão.

Pets que ajudam na educação das crianças

Deixar que as crianças realizem tarefas relacionadas ao bichinho de estimação pode ser uma ótima ideia para ensiná-los a ter responsabilidade.

Campanha reforça a presença do veterinário no núcleo de apoio à saúde familiar

O CRMV criou a campanha “Saúde é uma só” com o intuito de incluir o médico veterinário em ações de prevenção à saúde voltadas às famílias.

Como e quando usar recompensas para treinar cães e gatos?

Entenda a importância do reforço positivo para a boa convivência do pet com a família!

O melhor tipo de tosa para o seu cachorro

Conheça mais sobre recorte e tintura canina e saiba que cuidados ter na hora da tosa.

SE VOCÊ É UM DONO: COM CRIANÇAS

O mais recomendado é buscar cães dóceis e de grande porte, que aguentem brincadeiras mais brutas, como o bull terrier, por exemplo, que é um cachorro forte, mas extremamente dócil com crianças.

SE VOCÊ É UM DONO: AVENTUREIRO

AVENTUREIRO

Algumas raças indicadas são o border collie, o beagle, o labrador e o golden retriever.

SE VOCÊ É UM DONO: AGITADO

AGITADO

Vale procurar raças mais independentes, como o akita, o husky siberiano, o chow-chow e o pug.

SE VOCÊ É UM DONO: CARENTE

CARENTE

o labrador, cocker e o yorkshire adoram um cafuné e trocam tudo para deitar nos pés de seus tutores.