COMPORTAMENTO

Veja São Paulo: Alexandre Rossi fala sobre cães agitados no passeio

por Equipe de Comunicação
|
Compartilhe:

O zootecnista e especialista em comportamento animal, Alexandre Rossi, ensina como lidar com pets muito agitados na hora de sair de casa.

Inserir o passeio no cotidiano dos cães traz inúmeros benefícios tanto para eles quanto para os tutores. Andar rotineiramente com os cachorros promove boas consequências: previne obesidade e doenças correlacionadas, incentiva sociabilização com outros cães, pessoas e até animais de outras espécies, e proporciona estímulos sensoriais (olfativos, táteis e visuais), além de estimular comportamentos naturais desta espécie, como farejar e caminhar por longas distâncias.

Sabemos também que o passeio, como parte do dia a dia das famílias, é uma das formas de prevenir problemas de comportamento, especialmente para os animais com mais energia, quando o tédio pode gerar consequências desastrosas, como destruição e latidos em excesso.

Mas e quando uma questão comportamental muito comum surge justamente durante a voltinha? Estamos falando daqueles cães extremamente agitados, que só de avistar a guia e a coleira parecem enlouquecer. E todo o passeio, desde a saída de casa, torna-se um verdadeiro tormento.

O mais grave é que, nestes casos, muitos tutores decidem parar de caminhar com os pets, pois essa atividade fica extremamente difícil. E permanecer confinado em casa pode gerar outros problemas comportamentais.

O que fazer?

A primeira dica para lidar com cães que já saem de casa muito ansiosos, agitados e latindo sem parar é mudar a forma de interagir com eles.

O momento da saída geralmente é tumultuado. Esses comportamentos ainda dentro de casa tendem a deixar o passeio todo muito agitado e o cão acaba nem aproveitando o momento como poderia.

Portanto, a atitude mais indicada é deixar a saída sem graça, ou seja, fazer deste um momento bem tranquilo, para não incentivar a agitação do cão. Para isso, é preciso fazer tudo muito devagar, sem provocar ainda mais a excitação do pet: colocar coleira e guia calmamente, falar baixo, sentar-se e esperar o cão se acalmar para seguir com o processo são atitudes que ajudam bastante.

Treinar a atenção

Outra dica importante é descobrir alguma recompensa que o cão adore e só usá-la neste momento. Mas aqui é preciso encontrar algo que realmente seja muito motivador, como um petisco bem saboroso.

Com isso, dá para treinar alguns comandos, que serão recompensados com a guloseima deliciosa, pouco antes da saída de casa, o que fará com que o cachorro preste mais atenção neste momento do que nos estímulos do passeio, que o deixam tão agitado.

Simular passeios não muito estimulantes

Como fazer isso? Literalmente passeando com o cão em locais que não são nada estimulantes, como na garagem, no hall do prédio ou mesmo dentro da sala de casa.

Dessa forma, é possível mostrar a ele que adotar comportamentos tranquilos e manter o foco no condutor, sem puxões ou agitação extrema, vai gerar recompensas. E fazendo esse treino rotineiramente, o cão passará a apresentar os mesmos hábitos na rua, o que o deixará muito mais tranquilo para que a caminhada seja boa para todos.

É importante ter paciência e agir com consistência para que os treinos surtam o efeito desejado. Valerá muito a pena, pois os cães merecem um bom passeio como parte de suas vidas!

Por Alexandre Rossi, zootecnista, especialista em comportamento animal e sócio-fundador da Cão Cidadão.

Fonte: Veja SP

Encontre por tipo de Mídia:


Live nas mídias sociais da Veja SP

https://www.facebook.com/vejasp/videos/10156808...

Veja a live que Alexandre Rossi participou nas mídias da Veja SP, tirando algumas das dúvidas mais frequentes dos tutores.

Alexandre dá dicas sobre animais ansiosos

https://www.facebook.com/Alexandreprossi/videos...

Assista a live que o especialista preparou para tirar dúvidas de tutores.

Como contar os anos de vida de cães e gatos

vejasp.abril.com.br...

Sabemos que a expectativa de vida dos pets não acompanha a dos humanos. Será que é possível fazer uma previsão?

SE VOCÊ É UM DONO: FESTEIRO

FESTAS...

Mantém a casa sempre movimentada? A melhor saída é buscar cães de companhia, mais tranquilos e menos territorialistas, como o golden retriever, o labrador, o spitz alemão, o maltês, o shih tzu, o west highland white terrier e o lhasa apso.

Pets e crianças com necessidades especiais

Alexandre Rossi conta os benefícios que os animais trazem para a vida de uma criança especial.

Como adotar um cão?

Adotar um animal é um ato de amor e compaixão, mas que precisa ser bem pensado. Descubra mais com Alexandre Rossi.

Como estimular os gatos a beberem mais água?

O Dr. Pet explica a importância da água para os felinos e dá dicas para estimular a sua ingestão.

Pets que ajudam na educação das crianças

Deixar que as crianças realizem tarefas relacionadas ao bichinho de estimação pode ser uma ótima ideia para ensiná-los a ter responsabilidade.

Campanha reforça a presença do veterinário no núcleo de apoio à saúde familiar

O CRMV criou a campanha “Saúde é uma só” com o intuito de incluir o médico veterinário em ações de prevenção à saúde voltadas às famílias.

Como e quando usar recompensas para treinar cães e gatos?

Entenda a importância do reforço positivo para a boa convivência do pet com a família!

O melhor tipo de tosa para o seu cachorro

Conheça mais sobre recorte e tintura canina e saiba que cuidados ter na hora da tosa.

SE VOCÊ É UM DONO: COM CRIANÇAS

O mais recomendado é buscar cães dóceis e de grande porte, que aguentem brincadeiras mais brutas, como o bull terrier, por exemplo, que é um cachorro forte, mas extremamente dócil com crianças.

Alexandre para revista Contigo: adestrar para melhorar a convivência no lar

https://contigo.uol.com.br/

Veja a coluna da Cãotigo de agosto.

SE VOCÊ É UM DONO: AVENTUREIRO

AVENTUREIRO

Algumas raças indicadas são o border collie, o beagle, o labrador e o golden retriever.

SE VOCÊ É UM DONO: AGITADO

AGITADO

Vale procurar raças mais independentes, como o akita, o husky siberiano, o chow-chow e o pug.

SE VOCÊ É UM DONO: CARENTE

CARENTE

o labrador, cocker e o yorkshire adoram um cafuné e trocam tudo para deitar nos pés de seus tutores.