GATOS

Visitas de felinos ao veterinário

por Equipe de Comunicação
|
Compartilhe:

Muitos gatos têm medo das visitas ao veterinário, pois, para grande parte deles, perder o controle de um ambiente ou de uma situação é motivo de pânico. E, em casos em que o felino está muito assustado, até mesmo os exames podem ser comprometidos.

Clínicas preparadas

O ideal é que as clínicas veterinárias para gatos sejam planejadas para isso, em especial se elas também recebem cães e outras espécies.

Prateleiras mais altas para acomodar as caixas de transporte e barreiras entre as cadeiras para separar cães e gatos são algumas das medidas que podem melhorar o ambiente para os pacientes. Porém, nem sempre a ambientação da clínica está ao nosso alcance.

Por isso, é necessário um esforço tanto do tutor quanto do veterinário para que a consulta seja menos traumática. Veja como é possível diminuir o estresse do pet nessas situações.

Alimentação como recompensa

Utilize a comida para fazer uma associação positiva com as consultas veterinárias. Assim, toda vez que o gato passar por um procedimento ganhará o seu petisco favorito.

Para intensificar o desejo, é preciso controlar a quantidade que o gatinho ingere durante o dia. Atenção para não o deixar abaixo do peso ideal!

Transporte sem medos

Para muitos gatos, ficar dentro da caixa de transporte pode ser um pesadelo! Para evitar que o seu pet fique estressado, faça treinos com antecedência para que ele se acostume a entrar e ficar dentro da caixa. Não sabe como? Clique aqui e descubra!

Aceitação de novos lugares

Para que o pet associe um novo ambiente a uma situação agradável, passe a alimentá-lo em cômodos diferentes dentro da sua própria casa. Quando ele estiver mais acostumado, passe para locais fora de casa e, se possível, dê comida a ele em lugares que pareçam uma clínica veterinária.

Chegando na clínica, leve uma toalha com o cheiro de casa e cubra a caixa de transportes com ela. Lembre-se também de deixar a caixinha em uma altura de mais ou menos um metro ou, no mínimo, em cima da cadeira, onde o felino se sentirá mais seguro.

Manipulação por estranhos

O ideal é que esse tipo de treino seja feito desde cedo com o filhote.

  • Segure-o firmemente por alguns segundos e recompense-o com um petisco ao soltá-lo.
  • Com o tempo, aumente a duração e aproveite para apalpar o gatinho delicadamente.
  • Caso ele demonstre interesse contínuo pelo petisco, é sinal de que já associou positivamente o processo.

No veterinário

Chegando no local, existem três situações possíveis:

  1. Gato tranquilo: se o bicho não aparenta estar tão assustado, coloque a toalha com o cheiro de casa em cima da mesa do veterinário e deixe o seu pet sair sozinho da caixa de transporte.
  2. Gato assustado: caso ele esteja assustado e não queira sair da caixa de transporte, retire a parte de cima dela. É possível que ele seja examinado dentro da caixinha, sentindo-se mais seguro e menos assustado.
  3. Gato agressivo ou que possa fugir/não deixar pegar: nesse caso, conforme a caixa de transporte for sendo aberta, coloque a toalha em cima do gato. Assim, ele ficará contido e se sentirá mais seguro. Usando essa técnica, também evitamos que a pessoa que está examinando seja arranhada.

Outra opção são os médicos veterinários que disponibilizam atendimento em domicílio, o que evita o estresse da caixa de transporte e de um lugar desconhecido.

Encontre por tipo de Mídia:


Live nas mídias sociais da Veja SP

https://www.facebook.com/vejasp/videos/10156808...

Veja a live que Alexandre Rossi participou nas mídias da Veja SP, tirando algumas das dúvidas mais frequentes dos tutores.

Alexandre dá dicas sobre animais ansiosos

https://www.facebook.com/Alexandreprossi/videos...

Assista a live que o especialista preparou para tirar dúvidas de tutores.

Como contar os anos de vida de cães e gatos

vejasp.abril.com.br...

Sabemos que a expectativa de vida dos pets não acompanha a dos humanos. Será que é possível fazer uma previsão?

SE VOCÊ É UM DONO: FESTEIRO

FESTAS...

Mantém a casa sempre movimentada? A melhor saída é buscar cães de companhia, mais tranquilos e menos territorialistas, como o golden retriever, o labrador, o spitz alemão, o maltês, o shih tzu, o west highland white terrier e o lhasa apso.

Pets e crianças com necessidades especiais

Alexandre Rossi conta os benefícios que os animais trazem para a vida de uma criança especial.

Como adotar um cão?

Adotar um animal é um ato de amor e compaixão, mas que precisa ser bem pensado. Descubra mais com Alexandre Rossi.

Como estimular os gatos a beberem mais água?

O Dr. Pet explica a importância da água para os felinos e dá dicas para estimular a sua ingestão.

Pets que ajudam na educação das crianças

Deixar que as crianças realizem tarefas relacionadas ao bichinho de estimação pode ser uma ótima ideia para ensiná-los a ter responsabilidade.

Alexandre e Estopinha no programa Rock a 3

Ouça a entrevista do especialista na rádio Kiss FM.

Campanha reforça a presença do veterinário no núcleo de apoio à saúde familiar

O CRMV criou a campanha “Saúde é uma só” com o intuito de incluir o médico veterinário em ações de prevenção à saúde voltadas às famílias.

Como e quando usar recompensas para treinar cães e gatos?

Entenda a importância do reforço positivo para a boa convivência do pet com a família!

O melhor tipo de tosa para o seu cachorro

Conheça mais sobre recorte e tintura canina e saiba que cuidados ter na hora da tosa.

Alexandre para revista Contigo: adestrar para melhorar a convivência no lar

https://contigo.uol.com.br/

Veja a coluna da Cãotigo de agosto.

SE VOCÊ É UM DONO: AVENTUREIRO

AVENTUREIRO

Algumas raças indicadas são o border collie, o beagle, o labrador e o golden retriever.

SE VOCÊ É UM DONO: AGITADO

AGITADO

Vale procurar raças mais independentes, como o akita, o husky siberiano, o chow-chow e o pug.

SE VOCÊ É UM DONO: CARENTE

CARENTE

o labrador, cocker e o yorkshire adoram um cafuné e trocam tudo para deitar nos pés de seus tutores.